Precisamos mesmo de Dia do Abraço?

Há o abraço, quanto amor cabe dentro de um abraço sincero e verdadeiro?
Quanto carinho, cuidado e proteção pode existir entre dois corpos unidos por um forte abraço?
Quanta saudade é dizimada, quanta angústia se dissolve, quanta mágoa pode ser libertada através de um abraço?
Quanto pranto é desfeito, quantas lágrimas são derramadas pelo alívio de receber um abraço?
Quanta confiança é transmitida através deste contato de corpos, unidos, honestamente libertos em um abraço?
Quanta lealdade e afeto podemos colocar dentro de um abraço?
Quanta confiança existe no calor de uma abraço?
Quanta falta pode fazer um abraço?
Quanto vazia fica na ausência de abraços?
Pergunte para uma mãe que perdeu um filho, quanto de sua vida ela daria para poder viver e sentir novamente a sensação de um abraço, acompanhado pelo perfume único, pelo toque exclusivo daquele corpo, incomparável de qualquer outro.
Quantos abraços ficaram faltando? 
Pergunte para um filho que está longe de seus pais por muito tempo, morando fora de seu pais, longe de todas as pessoas que ama, sobre a necessidade de poder compartilhar um abraço sincero e verdadeiro, não importa se o momento é de alegria ou de pesar, quanta falta faz o simples ato de abraçar?
Pergunte para quem já perdeu um (uma) irmão (ã), a sensação de querer compartilhar suas notícias diárias, suas conquistas, seu sucesso, querer encontrar aquele abraço de alguém que foi muito mais que companheiro (a), e não o encontrar. 
Quanto vazio fica, quando é preciso um abraço de alguém que não está mais lá. Nada substitui o toque, nenhum avanço tecnológico poder aproximar o sentir. Sentir o calor, sentir o cheiro, sentir a força que emana, sentir a presença, sentir que não se está sozinho.
Abraços aumentam nossa confiança e segurança, reduzem nossa irritação e a apatia, melhoram o humor e nos deixa mais felizes, além de fortalecer nosso sistema imunológico, reduz o risco de demência (sério, isso é ciência!), porque equilibram nosso sistema nervoso, oxigenam nossos músculos e faz com que rejuvenescemos, reduzem nossa pressão arterial em função da liberação de oxitocina e serotonina, hormônios responsáveis pelo nosso bem-estar, além de reduzir os níveis de cortisol, hormônio do estresse. Quer mais? Liberamos endorfina, que é o hormônio que nos alegre e nos deixa mais bonitos!
Abrace por favor, mas também se deixe abraçar, não crie barreiras, não se constranja, não se intimide, apenas estenda teus braços, una o seu corpo e seus sentimentos verdadeiros, deixa a mágica acontecer, ria se sentir vontade, chore se sentir que deve chorar, mas não deixe de abraçar!
Faça isso por você e pelas pessoas que você ama!
Faça pelos seus filhos, faça pelos seus pais, faça pelos seus amigos, faça pelas pessoas que te fazem bem!
A nossa vida é um sopro e as coisas mais importantes da vida, na verdade, não são coisas: são pessoas, sendo assim, pessoas precisam de abraços! Você, creia, precisa de abraços!
As palavras nem sempre se fazem necessárias, porém, um abraço sincero diz muito mais.
Não deixe para depois, não deixe para o próximo aniversário, para o próximo encontro, para o próximo feriado, para o próximo Natal. Não espere a próxima viagem, a próxima visita, o próximo dia. O dia é hoje! Apenas abrace!

Manuela de Godoy Gaspari
Simplesmente Mãe?
Imagem direto do túnel do tempo!????