O amor é uma viagem!

Permitam-me apresentar a Flávia!

Quando conheci a historia da Flávia, logo me veio à cabeça um título: o amor é uma viagem! Não somente porque ela viajou muito nesta vida como comissária de bordo, foi se apaixonar loucamente por seu coleguinha de escola e que estava morando em Portugal, mas pelo fato de não fazermos ideia de onde vamos parar no decorrer de nossas histórias. Simplesmente entramos em um vagão e não sabemos qual o caminho que esse trem irá percorrer e muito menos onde vamos descer! Isso quando não nos jogamos pelo caminho com o trem ainda em movimento, ralando o corpo inteiro no cascalho.

Eu adoro histórias de amor, adoro romances, choro em casamento, até de estranhos se duvidar, sei algumas falas de filmes de cabeça. Sou intensa quando se trata de sentimentos e essa história mexeu comigo, me identifiquei por ser também uma história intensa, por perceber o quanto é verdadeira só de olhar nos olhos desta mulher que suspira enquanto fala de seu amor. Ela lembra de datas, números, preços, horários, ela relembra detalhes dos detalhes quando o tema é o seu amado Rubens, seu assunto favorito!

Eles se conheceram na escola, no antigo 1º grau, hoje ensino fundamental, eles se gostavam! Eu lembro perfeitamente de quando era criança e falávamos: fulano “gosta” da fulana! Pois então, eles se gostavam! A paixonite foi interrompida pela mudança do moço e sua família para Florianópolis, aqui teria se encerrado a sua primeira “experiência” amorosa, mas o destino quis que esta viagem não cessasse aqui. Após 19 anos, vejam bem, eu disse DEZENOVE anos, sem haver nenhum tipo de contato entre eles, o moço reconhece a sua coleguinha em uma noite qualquer, enquanto passava alguns dias de férias nesta cidade. Faltavam apenas três dias para retornar para Portugal, onde então, sua família fixou residência.

Demorou mais dois anos para se reencontrarem novamente, quando ela, comissária de voo, resolveu passar umas férias em Portugal. Alguém duvidava que ela iria para outro destino? Depois de quatro dias com seu amor de infância, muito chique que é a Flávia, ela ficou curtindo uma fossa pela Itália e pela Espanha. Nada mais tinha graça.

Já Rubens, viu os seus euros voando de seus bolsos em contas e mais contas de telefone. Pensem que ela como aeromoça, não atendia telefone celular, não havia whatsApp!!! Ele ligava para cada hotel que ela se encontrava. Na sua agenda telefônica constam hotéis da Amazônia, Mato Grosso, Fortaleza, Pernambuco, Santa Catarina, São Paulo, Minas, entre outros!

Essas ligações duraram mais dois longos anos!

Foi quando então, ele resolveu passar umas férias no Brasil. Foi a vez de conhecer a então Dona Vera, sua futura sogra, afinal, casa-se também com a família certo? Voltou para Portugal para se desfazer de seu quadriciclo, sua roupa de mergulho, sua profissão, seus amigos, sua mãe!

Pobre mãe! (um comentário de pesar e de solidariedade!).

Bebeu todas com seus amigos como despedida e como forma de manter a coragem em alta e se arriscar para essa nova vida que aqui no Brasil o aguardava.

Foi o último a desembarcar, quase ficando viúvo antes mesmo de colocar os pés no aeroporto, pois a Flávia já estava aos soluços de desespero achando que ele havia desistido. Mas eis que ele apareceu no final do corredor, com olhos de ressaca, com um sorriso de alívio por tê-la reencontrado ali, parada, com lágrimas nos olhos a lhe esperar.

Deste dia em diante, toda e qualquer viagem feita por eles, foram de férias. Porque assim como ele deixou tudo para ficar com seu amor, ela também largou a viação para viver na integridade sua mais linda história. Casaram-se no ano passado, refizeram todas as juras de amor eterno que antes eram feitas através das linhas telefônicas. Uniram Portugueses e Brasileiros em uma festa emocionante e única.

Ele então, chefe de cozinha na nossa Caxias do Sul, agora passa inventar novas receitas, aumentando seu portfólio para paladares de bebês, mais precisamente para um único paladar que está chegando: o da pequena Catarina, filhinha que eles esperam e que nascerá ainda este ano, menina essa, resultado de um amor incrível e que fará a aventura de suas vidas se tornar uma viagem ainda maior!

E ela, novamente esperando pelo amor, porém, vindo de seu ventre, para exercer agora uma nova função, de ser “Simplesmente Mãe?”.

Manuela de Godoy Gaspari