Não te preocupe, você sabe como ser mãe.

Você sabe exatamente quando e como deve falar, és detentora dos melhores e mais sábios conselhos. Sabe também, quando deve calar, quando deve sair e dar tempo ao tempo, fazendo seu coração sucumbir.

Você sabe quando há perigo, quando haverá dor, perda, choro e arrependimentos. Você sabe qual o momento de proteger, bem como, o momento de deixar doer, porque há momentos de sangrar e momentos de curar. Você entende que é preciso esperar a ferida fechar.

Você sabe que para todo mal há cura, também sabe que colo de mãe sempre ajuda, mas nem sempre cede, porque dizer não, é uma forma de educação, inclusive, de preparação para aquele que um dia não terá sua mão como proteção.

Você sabe quando ceder e quando retroceder. Você sabe que é difícil, porém, desistir para você, não existe.

Você sabe que cansa, porém, não descansa.

Você se abala, se curva, se culpa, desculpa e também se desculpa.

Você sabe fazer tudo certo, ao mesmo tempo que erra, porque errar é humano, você é humana! Na realidade, você é a mais humana dos humanos, porque ama, porque se doa, porque perdoa, porque jamais abandona!

Você sabe tirar todas as dúvidas, apesar de não saber que dentro de você existem as respostas.

Você nunca para de aprender consigo mesma, com teus filhos, com todos aqueles que cruzam o teu caminho.

Você ensina, você se dedica, você se entrega, não perde uma guerra. Não, você não se dá por vencida, não joga a toalha, não nega as batalhas, está sempre de olho em todas as jogadas!

Sim, você entende do jogo, entende de torcida, entende de contusões, entende os desfalques, reinventa o esquema tático, não dá ouvidos aos xingamentos, escuta apenas a voz do coração.

Você é coração, você é razão, você é o essencial, é vital, é fundamental!

Sim, mãe, você reanima, restaura, fortifica, você estimula, você é a fonte da ternura, da paciência que perdura, do amor permanente, aquela que não pode ficar doente, porque faz falta para muita gente.

Você acha que não sabe nada, olhe para você, que criatura extraordinária, que consegue fazer crianças comerem salada, alguém que apesar de todos os pesares consegue dar risada, consegue achar graça das suas tragédias diárias.

No fundo você sabe quando está certa, quando está exagerando, quando deveria estar relaxando. Pois é, você entende quando está cansada, quando nada lhe agrada, quando a garganta fica engasgada e mesmo assim, fica calada.

Estufa este peito menina, erga a cabeça, não desanime com o excesso de afazeres, você pode reclamar sim, quanto quiseres, e ainda assim, você será capaz de fazer tudo mil vezes, porque teus olhos enxergam além de você, porque mais alguém depende de você, porque teu amor mora também em outro ser, que sempre irá precisar de você, então, seja sempre você!

Manuela de Godoy Gaspari