PUBLICIDADE. FAÇA A SUA PROPAGANDA AQUI! FALE CONOSCO

É preciso querer ser um bom pai!

Pai que é pai, brinca com seus filhos. Pai que é pai, não precisa necessariamente trocar as fraldas ou entender sobre tipos de leites, tipos de pomadas para assadura ou dar banho no seu filho. Obviamente que se fizer tudo isso, o lucro é ainda maior, principalmente para a mãe, que terá um companheiro para ajudar nas tarefas. Mas quer saber, eu não lembro quem trocou minhas fraldas, muito menos se usei fraldas, mas lembro nitidamente da minha infância com meu pai.

Na minha memória ficaram as lições de vida, ficaram os exemplos (os certos e os errados também), nossos passeios, nossas férias e também as histórias e brincadeiras. Ultimamente tenho observado o comportamento dos pais com seus herdeiros, então chego à conclusão que um pai precisa estar presente na vida do seu filho também para brincar! Para entrar no mundo da imaginação com seu filho, virar um jogador de futebol, um astronauta, cantor, bailarina, seja lá o que for. Precisa jogar seu filho para o alto e fazê-lo pensar que é um avião!

Um pai precisa experimentar os bolinhos feitos de terra, areia e pedrinhas.

Um pai precisa saber montar uma cabana de lençóis no meio da sala de estar.

Um pai precisa ensinar mergulhar, andar de bicicletas e a se equilibrar nos patins.

Precisa andar na velocidade permitida, não beber se for dirigir, não estacionar em local proibido.

Ele precisa ficar com dor de cabeça de tanto fazer vozes fininhas de bonecas e princesas.

Ele precisa aprender a maquiar e deixar ser maquiado pela sua garotinha.

Precisa cumprimentar o garçom, segurar a porta do elevador para as pessoas, ser respeitoso com todos a sua volta.

Sim, ele precisa fazer cócegas, inventar histórias mirabolantes, e repeti-las por muitas vezes. Precisa rir de piadas inventadas, precisa jogar quebra-cabeças, memória, pedra-papel-tesoura.

Precisa ensinar o valor do dinheiro e também do trabalho.

Um pai precisa saber dizer não, precisa também pedir perdão, precisa fazer bolhas de sabão.

Um pai precisa encorajar seu filho a encarar e a superar os medos, precisa ser exemplo de coragem, precisa ser o porto seguro e o herói que seu filho procura, porém, sem deixar de demonstrar suas fraquezas e suas limitações.

Não é difícil brincar e dar atenção para os filhos, basta somente chegar do trabalho cansado e não sentar no sofá, abdicar do seu programa de televisão, negar o convite do churrasco, do jogo de futebol, o show da banda preferida. Não é difícil, precisa somente ficar sem segundo plano na maioria das vezes.

Não é abnegar-se da sua vida e dos teus prazeres, bem pelo contrário, isso é amar alguém de forma incontrolável. É entender, que ele é peça fundamental no processo de crescimento, amadurecimento e da formação de um ser humano. É desejar que seu filho seja melhor do que ele é. Também é investir em alguém que possa lhe dar orgulho no futuro.

Não escolha um pai pela disponibilidade de trocar fraldas, não exija um pai que reveze as noites de cólicas com você, não se sinta desvalorizada por fazer o jantar sozinha, ou por ele não estar presente na hora do banho. Queira um pai presente na formação de valores, nos exemplos morais, no desenvolvimento da auto estima, da confiança, da determinação. Queira um pai que valorize os momentos lúdicos com seu filho, que saiba falar a mesma linguagem da criança, que faça os olhos dos seus filhos brilharem ao ouvirem sua voz. Queira um pai que realmente queira ser pai, que queira estar com o seu filho sempre em primeiro lugar!

Se já encontrou, parabéns, você tem tudo!

Manuela de Godoy Gaspari